Mon. Oct 3rd, 2022



O O2 é tipicamente um local para estrelas do rock e sensações pop; a ideia de que a arena de 20.000 lugares poderia lotar para uma palestra de física pode parecer improvável, mas na verdade provou ser um sucesso retumbante.  O palco era de uma simplicidade maravilhosa: o professor Brian Cox estava em uma plataforma elevada com uma tela enorme exibindo imagens do cosmos atrás dele. Ver imagens de alta qualidade dos fenômenos discutidos foi poderoso e inspirador, ajudando a unir a complexidade das equações da física com uma beleza galáctica inspiradora. Estes foram intercalados com diagramas e fórmulas para ilustrar as entidades sobrenaturais, e o público foi até presenteado com o…

Avaliação



Excelente

O bad boy da física quântica, o professor Brian Cox, leva ao O2 para nos ensinar sobre o universo, estrelas, planetas, buracos negros e o inevitável fim de todas as coisas.

Avaliação do utilizador: Seja o primeiro!

o O2 é tipicamente um local para estrelas do rock e sensações pop; a ideia de que a arena de 20.000 lugares poderia encher para uma palestra de física pode parecer improvável, mas na verdade provou ser um sucesso retumbante.

O palco era uma simplicidade maravilhosa: Professor Brian Cox estava em uma plataforma elevada com uma tela enorme exibindo imagens do cosmos atrás dele. Ver imagens de alta qualidade dos fenômenos discutidos foi poderoso e inspirador, ajudando a unir a complexidade das equações da física com uma beleza galáctica inspiradora. Estes foram intercalados com diagramas e fórmulas para ilustrar as entidades sobrenaturais, e o público foi até presenteado com o primeiro “solo de equação” ao vivo do O2 – quem precisa de guitarras!

Cox é um excelente orador e realmente talentoso quando se trata de colocar conceitos complexos em termos que todos possam entender. Melhor ainda, ele consegue fazê-lo sem ser condescendente com o público. Traduzir conceitos científicos de alto nível para leigos e especialistas é certamente uma ciência, se não feitiçaria. A alegria que sua especialidade lhe traz é palpável: destaques particulares incluíram descrições de astronautas pulando em buracos negros e de “loops semelhantes ao tempo fechados” sendo máquinas do tempo. Tudo isso pareceu ressoar fortemente com a platéia, com risos e murmúrios de admiração a serem ouvidos durante todo o show.

Companheiro Gaiola de Macaco Infinita Estrela Robin Ince foi uma delícia de assistir e um complemento maravilhoso para Cox. O show se beneficiou do humor bobo para quebrar momentos de existencialismo, uma das minhas piadas favoritas é que Cox não pode passar por detectores de metal porque os físicos não entendem de ímãs. Também foi ótimo ver o envolvimento ativo do público – nunca ouvi um pedido para gritar se você é um matemático. Os dois mostraram um verdadeiro carinho e apreço por tantas pessoas que vieram passar a noite descobrindo sobre a mecânica quântica.

Durante o intervalo do show, o público foi convidado a enviar perguntas online para Cox responder. Essa foi uma excelente maneira de ver como diferentes pessoas se envolveram com o material. As perguntas variavam de universos paralelos, se somos todos personagens do sonho de outra pessoa e se cereais ou leite vêm em primeiro lugar. Para este último, a resposta foi indiferença – ambos estão cheios de prótons. Recomendo o respeito que os artistas tiveram pelas perguntas das crianças: sua capacidade de fazer perguntas estranhas que confundem os especialistas e sua capacidade ilimitada de aprendizado. Toda a experiência foi uma prova da alegria do conhecimento e uma grande oportunidade de conhecer um dos cientistas mais prestigiados do mundo.

A única decepção da experiência foi uma combinação de dificuldades técnicas e má comunicação da equipe no local, o que quase me fez perder o início do show. Felizmente, montagens de céus estrelados e paisagens alienígenas (assim como os suaves tons mancunianos de Cox) fizeram o trabalho de me relaxar assim que a performance começou. Horizontes foi uma produção simultaneamente alegre e intelectualmente estimulante, que pareceu tocar dezenas de milhares de nerds de todo o Sudeste. Foi apenas depois de uma reflexão que passei a realmente apreciar a capacidade de Cox e Ince de transmitir comédia e sagacidade de uma maneira amigável ao público. Este show é uma experiência de outro mundo para os amantes de estrelas, espaço e tolice científica!


Escrito pelo Professor Brian Cox
Dirigido porNic Stacey
Produzido por Phil McIntyre ao vivo

Horizons: A 21st Century Space Odyssey viaja internacionalmente ao longo de 2022. Mais informações e datas podem ser encontradas aqui.



By roaws