Wed. Sep 28th, 2022


Um processo alegando que a arte do álbum do Nirvana Não importa constitui pornografia infantil foi demitido, Painel publicitário relatórios e documentos vistos pela Pitchfork confirmam. O juiz Fernando M. Olguin decidiu no Tribunal Distrital dos EUA que o caso foi arquivado muito além do prazo de prescrição (10 anos) e rejeitou o caso com prejuízo. O demandante Spencer Elden está impedido de reapresentar o processo, embora ainda possa apresentar um recurso.

Elden, agora com 31 anos, tinha quatro meses quando o amigo de seu pai, o fotógrafo Kirk Weddle, pagou US$ 200 para fotografá-lo em uma piscina para Não importaarte da capa de. Ele recriou a imagem várias vezes no passado e tinha a palavra “Nevermind” tatuada em seu peito. Ele processou Weddle, a banda, suas gravadoras e várias outras partes em 2021 por exploração sexual infantil, dizendo que não podia consentir que sua imagem fosse usada. O processo foi arquivado depois que Elden perdeu um prazo para responder à moção dos réus para arquivar o processo com base no estatuto de limitações. Elden reapresentou o processo em janeiro, sustentando que os réus comercializavam “pornografia infantil”, mas removendo a alegação de que “conscientemente se beneficiaram da participação no que sabem ou deveriam saber que é um empreendimento de tráfico sexual”.

By roaws